Durante a era glacial,
muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo esta situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente. Mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que forneciam calor. E, por isso, tornavam a se afastar uns dos outros. Voltaram a morrer congelados e precisavam fazer uma escolha: Desapareceriam da face da Terra ou aceitavam os espinhos do semelhante. Com sabedoria, decidiram voltar e ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que uma relação muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aceita os defeitos do outro e consegue perdão pelos próprios defeitos.

por que sabotamos nossa felicidade?
















"A felicidade está onde a colocamos e não onde a procuramos"
Ultimamente tenho dedicado parte de meu tempo no estudo do tema felicidade, principalmente por observar o quanto essa pequena palavra pode significar para cada um de nós separadamente.
Felicidade é um tema universal, é um estado de ser que todos nós, sem exceção, buscamos, mas poucos de nós conseguem contatá-la. Como é um estado de espírito, a felicidade está dentro, e não fora de nós.
E por mais que busquemos a felicidade em coisas como um salário maior, um grande amor, ou qualquer coisa que não esteja dentro de nossos corações, não conseguiremos encontrá-la. Você já parou para se perguntar o que o torna feliz ou infeliz? Qual o verdadeiro significado da felicidade para você?
Penso que felicidade é um estado que brota a partir do sentimento de liberdade e prazer. Penso ser impossível sentir-se feliz se não nos sentirmos livres. Mas certamente, aquilo que me faz feliz, pode não fazer sentido algum para você. Aceitar as diferenças é também uma forma de construção da felicidade.
Muitas pessoas consideram a infância como uma época de grande felicidade, e vivem mais no passado, idealizando-o, e consequentemente negando a vida presente. Mas é agora, no momento presente, que devemos depositar todas as nossas energias na construção de uma vida mais plena e feliz.
O passado existe apenas em nossas memórias, a não ser em casos especiais, onde alguns traumas não resolvidos ainda gritam com força nos impedindo a felicidade.
Todos nós queremos que nossas vidas sejam mais do que a luta pela sobrevivência. Todos nós sentimos amor, temos vida, sonhos e fantasias em nossos corações, e na maioria das vezes não damos vazão a esses maravilhosos sentimentos.
Mas afinal, por que deixamos que nosso amor e alegria desapareçam, se sonhamos diariamente com a felicidade, e procuramos por todo o tempo o amor? Por que sabotamos nossa felicidade? Por que temos tanto medo da liberdade e do prazer? Por que anestesiamos nossos sentimentos, nossas sensações corporais?
Na realidade, enquanto estivermos anestesiados, não conseguiremos nenhum sucesso em nossa busca, pois quando o prazer está ausente de nossas vidas, quando perdemos a sensação de prazer, a felicidade é apenas uma ilusão.
Acredito que precisamos urgentemente resgatar algo muito primitivo de dentro de nós. Uma certa liberdade e prazer que deixamos lá atrás, nas mãos de nossos ancestrais. Algo natural e humano, até mesmo um pouco selvagem, não domesticado, que está impresso em nossa memória celular. Lentamente nossos sentimentos foram calados, humilhados, silenciados, enfraquecidos, e pior, acreditamos em toda história que nos contaram!
Somos, na maioria, filhos de pais autoritários, frutos de uma sociedade autoritária, onde a expressão de nossos sentimentos e de nosso prazer foi brutalmente amordaçada. E enquanto nos sentirmos prisioneiros desses padrões, não poderemos trilhar absolutamente o caminho em direção à plenitude de ser.
Estamos todos atolados no medo. Receamos nos aventurar, criar, gostar de alguém; temos medo de nossas próprias atitudes, especialmente aquelas que brotam espontaneamente, da pulsação de nossos corpos. Temos vergonha de amar, de cantar, assobiar, de rir sozinhos, de abraçar, beijar, de sentir prazer!
Nos tornamos áridos, secos, mordazes, inteligentes demais. Mas a boa notícia é que o mesmo remédio que mata é o que cura; todos nós trazemos em nossa psique a possibilidade de irrigação, fertilização e auto cura.
Perceba-se em seu dia a dia. Comece observando cada atitude que o leve na direção oposta à felicidade. Observe atentamente o predador que traz dentro de você. Como se estivesse em um quarto escuro com uma serpente, observe atentamente, sem descanso. Olhe-o de frente, bem dentro de seus olhos.
Mas cuidado, não subestime-o, pois ele é poderoso. Esse predador nasceu de vozes muito convincentes, na maioria das vezes destrutivas, que tentaram fazer você acreditar que não é bom o suficiente.
Engane-o, finja obedecê-lo, tratá-lo com carinho, e crie inteligentemente uma grande armadilha para aprisioná-lo, e tranque-o. Guarde as chaves com você, nunca as dê para outra pessoa.
Somente quando você tiver coragem suficiente para aprisionar esse carcereiro, poderá seguir em direção à tua liberdade, ao prazer, e consequentemente à tua tão sonhada felicidade.
(Helena Martins Daniel)

Eu te amo não diz TUDO

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.
Sentir-se amada é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você quando for preciso.
Ser amada é ver que ele lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é ver como ele fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.
Sente-se amada aquela que não vê transformada a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amada aquela que se sente aceita, que se sente inteira. Aquela que sabe que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amada quem se sente segura para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amada quem não ofega, mas suspira; Quem não levanta a voz, mas fala; Quem não concorda, mas escuta.

- Arnaldo Jabor

( Flogão da Hizi )

Sobre Humilhação.

Durante uma vida a gente é capaz de sentir de tudo, são inúmeras as sensações que nos invadem, e delas a arte igualmente já se serviu com fartura. Paixão, saudades, culpa, dor-de-cotovelo, remorso, excitação, otimismo, desejo – sabemos reconhecer cada uma destas alegrias e tristezas, não há muita novidade, já vivenciamos um pouco de cada coisa, e o que não foi vivenciado foi ao menos testemunhado através de filmes, novelas, letras de música.

Há um sentimento, no entanto, que não aparece muito, não protagoniza cenas de cinema nem vira versos com freqüência, e quando a gente sente na própria pele, é como se fosse uma visita incômoda. De humilhação que falo.

Há muitas maneiras de uma pessoa se sentir humilhada. A mais comum é aquela em que alguém nos menospreza diretamente, nos reduz, nos coloca no nosso devido lugar - que lugar é este que não permite movimento, travessia?. Geralmente são opressões hierárquicas: patrão-empregado, professor-aluno, adulto-criança. Respeitamos a hierarquia, mas não engolimos a soberba alheia, e este tipo de humilhação só não causa maior estrago porque sabemos que ele é fruto da arrogância, e os arrogantes nada mais são do que pessoas com complexo de inferioridade. Humilham para não se sentirem humilhados.

Mas e quando a humilhação não é fruto da hierarquia, mas de algo muito maior e mais massacrante: o desconhecimento sobre nós mesmos? Tentamos superar uma dor antiga e não conseguimos. Procuramos ficar amigos de quem já amamos e caímos em velhas ciladas armadas pelo coração. Oferecemos nosso corpo e nosso carinho para quem já não precisa nem de um nem de outro. Motivos nobres, mas os resultados são vexatórios.

Nesses casos, não houve maldade, ninguém pretendeu nos desdenhar. Estivemos apenas enfrentando o desconhecido: nós mesmos, nossas fraquezas, nossas emoções mais escondidas, aquelas que julgávamos superadas, para sempre adormecidas, mas que de vez em quando acordam para, impiedosas, nos colocar em nosso devido lugar.
(Martha medeiros)

Aí tem

As coisas são como são. Se alguém diz que está calmo, é porque está calmo. Se alguém diz que te ama, é porque te ama. Se alguém diz que não vai poder sair à noite porque precisa estudar, está explicado. Mas a gente não escuta só as palavras: a gente ouve também os sinais.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava frio como um iglu. Você falava, falava, e ele quieto, monossilábico. Até que você o coloca contra a parede: "O que é que está havendo?". "Nada, tô na minha, só isso." Só isso???? Aí tem.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava exaltado demais. Não parava de tagarelar. Um entusiasmo fora do comum. Você pergunta à queima-roupa: "Que alegria é essa?" "Ué, tô feliz, só isso". Só isso????? Aí tem.

Os tais sinais. Ansiedade fora de hora, mudez estranha, olhar perdido, mudança no jeito de se vestir, olheiras e bocejos de quem dormiu pouco à noite: aí tem. Somos doutoras em traduzir gestos, silêncios e atitudes incomuns. Se ele está calado demais, é porque está pensando na melhor maneira de nos dar uma má notícia. Se está esfuziante demais, é porque andou rolando novidades que você não está sabendo. Se ele está carinhoso demais, é porque não quer que você perceba que está com a cabeça em outra. Se manda flores, é porque está querendo que a gente facilite alguma coisa pra ele. Se vai viajar com os amigos, é porque não nos ama mais. Se parou de fumar, é uma promessa que ele não contou pra você. Enfim, o cara não pode respirar diferente que aí tem.

Às vezes não tem. O cara pode estar calado porque leu um troço que mexeu com ele, ou está falando muito porque o time dele venceu. Pode estar mais carinhoso porque conversou sobre isso na terapia e pode estar mais produzido porque teve um aumento de salário. Por que tudo o que eles fazem tem que ser um recado pra gente?

É uma generalização, mas as mulheres costumam ser mais inseguras que os homens no quesito relacionamento. Qualquer mudança de rota nos deixa em estado de alerta, qualquer outra mulher que cruze o caminho dele pode ser uma concorrente, qualquer rispidez não justificada pode ser um cartão amarelo. O que ele diz importa menos do que sua conduta. Pobres homens. Se não estão babando por nós, se tiram o dia para meditar ou para assistir um jogo de vôlei na tevê sem avisar com duas semanas de antecedência, danou-se: aí tem.
Acredite: você merece, sim, ser feliz.

Saiba que viver é exatamente isso: caminhar, tropeçar, cair e depois levantar-se. Pode até demorar, mas você vai levantar-se. É preciso aprender isso: levantar-se. Daqui a pouco você vai perceber que levantar-se vai ser fácil, porque você gosta tanto de você mesma que não valerá a pena derramar uma lágrima sequer.

Aprender dói. E você está aprendendo. À duras penas, eu sei. Mas é assim mesmo. Ninguém disse que o caminho seria feito apenas de arco-iris e sorrisos. Mas, que no fim das contas vai ter valido a pena. Valeu pra mim. E, você vai ver, vai valer pra você também.

porque amamos quem amamos?
se existem verdades absolutas, uma delas é que nós todos temos medo de sofrer. Tentamos acreditar que podemos controlar as situações ao nosso redor, muitas pessoas não conseguem viver o amor..
será que ele me ama?
será que vale a pena perdoar e tentar de novo?
será que ele não vai me trair?
a pergunta correta é: Eu quero?!
Sim!
Porque o amor é uma chance, uma oportunidade, não uma garantia, nunca uma certeza. Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração, ou passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto.
Jamais teremos como saber se o outro esta sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesmo medida, se vamos sofrer, ou seremos felizes!
jamais saberemos do amanhã ou do outro, por que só podemos saber de nós mesmos.
E digo mais, só conseguimos entrar de fato no coração de alguém, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao impossível, o segredo está em saber se você quer, se você realmente ama alguém, porque quando a gente quer de verdade com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do nosso mundo.
Entregar-se ao impossível e aceitar a dor e a alegria fazem parte do amor.
Portanto, quando o medo rondar seu coração, não resista, simplesmente relaxe, e se entregue, porque o amor sempre está a espera, pronto para inundar a sua vida!

A coisa mais importante, é não se amargar pelas decepções da vida. Aprender a deixar o passado para trás. Eu reconheço, que nem todo dia, será insolarado. Mas quando você se encontrar perdido nas escuridão e no desespero, Lembre-se, é somente na escuridão da noite, que podemos ver as estrelas. E nenhuma estrela, o guiará de volta para casa. Então não tenha medo de cometer erros. Ou de tropeçar e cair. Pois na maioria das vezes, os melhores prêmios, vêm quando se faz aquilo que você mais teme. Talvez você consiga tudo o que deseja. Talvez, você consiga mais do que jamais tenha imaginado. Quem sabe onde a vida te levará? A estrada é longa. E no fim, a jornada, é o destino.


Mãe é o amigo mais verdadeiro que temos quando a dificuldade dura e repentinamente cai sobre nós; quando a adversidade toma o lugar da prosperidade; quando os amigos que se alegram conosco nos bons momentos nos abandonam; quando os problemas complicam-se ao nosso redor, ela ainda estará junto de nós, e se esforçará através de seus doces preceitos e conselhos para dissipar as nuvens de escuridão, e fazer com que a paz volte aos nossos corações.
Obrigada MÃE por TUDO, Te amo
"As pessoas são como icebergs. Você só vê a ponta...
Deixamos à mostra apenas um pedaço do que somos. Atraímos com a parte que está à tona e ameaçamos com nossa parte escondida, imensa e indissolúvel.

Isso vale para quase tudo.

É uma contingência da vida. Não há desonestidade no iceberg. Ele não tem culpa de o oceano não evaporar, revelando a montanha de gelo que jaz sob a água. A natureza esconde a parte debaixo da geleira flutuante, assim como a natureza humana também não se expõe integralmente. O invisível está em tudo e em todos. Uma flor é um iceberg, se tem espinhos. O sol é um iceberg que esconde o perigo dos raios ultravioletas.
Um amigo pode ser um iceberg, se omite intenções pouco nobres. A paixão é um iceberg que encanta e oferece riscos...
A mentira é a ponta de um iceberg chamada sociedade. A beleza é a ponta de um iceberg chamado saúde. Icebergs podem surpreender positiva ou negativamente.
Só há uma maneira de descobrir: sejamos MERGULHADORES."

Martha Medeiros.